Blog

religiosidade-sexualidade
Comportamento Sexualidade

A Sexualidade, a religiosidade e o Enigma da Humanidade: uma reflexão para a Semana Santa

By: Luciana Fernandes

A religiosidade e a questão sobre qual é a essência do cristianismo não podem, em hipótese nenhuma, ser afastadas da pergunta: qual a essência do homem?

Nossa existência como seres humanos hoje não pode ser considerada como um mero assunto banal. Considerando que nossa existência como seres humanos têm uma relação íntima com o ato sexual, não podemos separar sexualidade, cristianismo e o enigma da humanidade.

E é sob esse ponto de vista que nasce essa reflexão.

O Enigma da Humanidade: nossa natureza dual

Somos seres dotados da capacidade de criar e de destruir. O bem e o mal vivem dentro da nossa natureza.

Estamos pessimistas em relação ao nosso destino humano?

Se formos olhar o que mídia nos traz, temos que dizer que sim! Ainda mais se considerarmos a forma que estamos usando a energia da vida e o sexo para a destruição e o desamor, em formas de todo tipo de abuso, no lugar da cocriação e das relações amorosas. Por isso, ressaltamos que a sexualidade se constitui como um dos maiores desafios para os pais no século XXI.

Temos razões para pensar que o projeto de humanidade está fracassando e nossas esperanças humanas, fraternas e amorosas estão infelizmente sendo lançadas ao túmulo.

Nossa cultura moderna mais destrói do que constrói. O que afinal estamos fazendo com a nossa capacidade de criar? Será que o mau uso da energia criativa da vida, o sexo, tem colaborado com a cultura do destruir?

Mas a energia da vida é tão viva, que ainda vive dentro de cada ser humano uma espécie de pressentimento de que os problemas culturais e sociais que estamos enfrentando em nossa época possam ter um dia uma boa solução.

Ainda nos maravilhamos com a corporalidade humana, perfeita e bela, que se transforma continuamente e que habita uma alma, uma vida de sentimentos, que se exprime das mais variadas maneiras no mundo e que parece possuir uma capacidade de se elevar acima de nossas capacidades humanas, as alturas do espírito, e dar origem através da criação humana a boa arte, a boa ciência, a formação do caráter e tantas outras coisas grandiosas.

E pensar que a sexualidade ainda nos presenteia com o nascimento de cada vida humana. O nascer de uma criança é como uma força de amor e de esperança que conquista a nossa alma, fazendo com que nela brote, apesar de tudo, a certeza da nossa salvação.

É verdade que nossa cultura muitas vezes transforma nossa maior capacidade nata de criar o bom, o belo e o verdadeiro, que existe em toda e qualquer vida humana, no vazio existencial, na vulgaridade e nas inverdades presentes em nosso mundo.

Que há de errado com o homem, que por um lado possui capacidades divinas e criativas e por outro a capacidade de destruir?

Aqui nessa pergunta, nessa constatação, vive o enigma da nossa humanidade. E por sofrermos o peso desse enigma é que somos capazes de amadurecer nosso conhecimento e a plena aceitação do Cristianismo, como religião do Amor e da Liberdade.

Nesta sexta, dia 19/04, vamos postar a segunda parte deste texto para nos ajudar a decifrar este enigma da nossa humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *