Blog

comunicação entre adolescentes e pais
Educação para os filhos Sexo na Adolescência

Comunicação entre adolescentes e pais: a vida em tempos de WhatsApp

Imagine receber pelo WhatsApp uma mensagem da sua filha dizendo que perdeu a virgindade. Esse é um caso específico no qual a mãe respondeu, também, pelo WhatsApp se utilizando da comunicação escolhida pela filha.  Assunto encerrado. Eis um relato de como se encontra hoje a comunicação entre adolescentes e pais. 

Vida que segue. Será?

Qual o impacto desse tipo de comunicação entre adolescentes e pais na vida desses jovens?  Que exemplo a mãe deu? O que essa comunicação virtual propicia?

A filha relata um processo tão importante da vida dela mas preferiu se utilizar da virtualidade.  Escolheu, independente do motivo (teve medo da reação da mãe, estava com vergonha) uma via de comunicação que utiliza no seu dia-a-dia com seu círculo social.

Por que não utilizou-se da comunicação presencial, que exige um encontro CONSCIENTE, ativo e com olho no olho?  

Não cabe, nesse momento, o julgamento reducionista da atitude da adolescente ou da mãe. O que quero, ao expor esse caso, é estimular a reflexão EM CADA UM. Afinal, tal situação pode acontecer com qualquer pai ou mãe em situações similares.

 

Vamos refletir sobre qual a importância da minha comunicação com minha filha adolescente.

 Qual a consciência diária que EU devo praticar para perceber que exemplos de comunicação eu ofereço e aceito?

Como posso estimular minha filha a ampliar sua comunicação?  

A pensar antes de agir?

A exercitar a vontade em praticar encontros para tratar de assuntos delicados ou que sejam importantes para vida dela?

Essas são perguntas para cutucar o cérebro dos pais de adolescentes.  Perguntas remetem a um exercício do PENSAR.  Sugiro através delas um processo de conscientização e construção do pensamento para gerar conhecimento. Com isso, os pais podem se antecipar e se preparar para situações delicadas ou desafiadoras.

No exemplo acima, procurei estimular a mãe a refletir sobre a condução da relação dela com a filha, e em seguida, propor a filha um encontro para falar desse assunto.

Dar de presente para ambas essa oportunidade de ampliar a comunicação, de torná-la mais humana e presencial. Ensinar aos filhos a enfrentar de FRENTE, com peito aberto, coragem e firmeza de espírito QUALQUER situação, seja ela delicada ou não, deve começar em casa, com as pessoas que mais amamos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *