Blog

direitos humanos e cidadania
Educação

Ensino dos Direitos Humanos e Cidadania deve ser uma prerrogativa das escolas?

A instituição escolar possui um papel extremamente relevante na formação dos indivíduos e, por consequência, na construção da sociedade. Tendo em vista a importância da escola neste sentido, ela precisa trabalhar certos assuntos com as crianças e adolescentes desde cedo, a fim de que eles internalizem estes conceitos e os utilize para guiar as suas ações no presente e futuro. Dentro deste contexto, destaca-se o tema Direitos Humanos e Cidadania. Mas será que a escola deve abordar este assunto? Lidar com este tema também envolve questões delicadas, estariam os professores preparados para esta tarefa? Reflita sobre estes questionamentos neste texto da TalkB4! 

 

Direitos Humanos e Cidadania: o que eles são e como se relacionam?

 

Os Direitos Humanos são alguns direitos básicos que pertencem a todos os seres humanos, independente de sexo, nacionalidade, religião, posição social, etnia, raça, orientação sexual, gênero, etc. O direito à vida, liberdade de expressão e opinião, ao trabalho e educação são alguns exemplos de direitos que constam na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Este importante documento foi assinado em 1948 e possui quase 200 países que são signatários. Já o conceito de cidadania refere-se aos direitos e deveres do indivíduo em um território. Em um artigo publicado no ano passado pelo El País, o jornalista espanhol Joaquín Estefanía ressalta que os conceitos de Direitos Humanos e Cidadania são interligados.

 

A Declaração Universal dos Direitos Humanos, um dos pontos altos da dignidade humana, acaba de ser celebrada, ao completar as sete primeiras décadas de vida, com seus avanços e suas limitações e violações. É de se esperar que no próximo ano não nos esqueçamos de prestar a merecida atenção ao conceito de cidadania, que é uma continuação natural dos direitos humanos. Em 1949, o professor de Sociologia T. H. Marshall, da London School of Economics, pronunciou na Universidade de Cambridge uma conferência intitulada Cidadania e Classe Social, em que estabeleceu o seguinte princípio: um cidadão não pode sê-lo se não for triplamente cidadão: civil, político e social. Se um só destes três elementos falha, a pessoa não pode ser considerada cidadã. O elemento civil se compõe dos direitos necessários para a liberdade individual (liberdade da pessoa, de expressão, de pensamento e religião, direito à propriedade e a estabelecer contratos válidos, e direito à justiça); as instituições diretamente relacionadas com os direitos civis são os tribunais de Justiça.


Os educadores devem trabalhar o tema Direitos Humanos e Cidadania nas escolas?

A escola é um elemento chave na construção dos indivíduos. É neste espaço que as crianças e adolescentes convivem uns com os outros e conhecem pessoas com diferentes histórias e experiências de vida. Por esta razão, a instituição escolar deve ajudar a formar cidadãos que além de ter a consciência sobre seus direitos e deveres também construam uma cultura de respeito à diversidade. A partir desta perspectiva, a abordagem dos Direitos Humanos e Cidadania se torna fundamental para a construção de uma sociedade mais justa e livre de preconceitos.

Por outro lado, muitos educadores podem não estar preparados para lidar com temas delicados que são provenientes deste universo dos Direitos Humanos e Cidadania. O respeito à diversidade sexual, por exemplo, ainda é um assunto permeado por preconceitos e que muitos professores não se sentem preparados para abordar. Este foi o central de um webinar que reuniu alguns especialistas da TalkB4 para um debate. A discussão foi ancorada em uma questão especulativa sobre a orientação sexual da personagem Elsa, do filme Frozen. 

Abordagem de Direitos Humanos e Cidadania nas escolas pressupõe diálogo e contextualização

Para lidar com o tema dos Direitos Humanos e Cidadania nas escolas é necessário ter um diálogo aberto com os alunos e também uma contextualização. As crianças e adolescentes devem perceber como este assunto tão importante se conecta com o seu cotidiano e a sua realidade.

Em entrevista para a revista Carta Capital, a mestre em educação Renata Ferraz exemplificou:

“Com crianças, é preciso se ancorar no lúdico, trazer essas informações com o apoio das lendas, do folclore, por exemplo; com os mais velhos, já é possível promover debates políticos atuais e relevantes.”

Ao observar todos os aspectos mencionados ao longo do texto, podemos afirmar que a formação e atualização dos educadores para lidar com os temas delicados são fundamentais. E a TalkB4 pode ser uma parceira da sua instituição escolar neste sentido! A nossa inteligência coletiva pode facilitar a compreensão e auxiliar na implementação de ações mais eficazes e condizentes com o contexto de sua escola. Conheça nossos serviços aqui e saiba como falar sobre estes assuntos espinhosos com amorosidade e efetividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *