Blog

habilidades socioemocionais
Comportamento

Habilidades socioemocionais: caminho para mediação de conflitos na escola?

Habilidades socioemocionais são essenciais para que o educador saiba como agir quando se deparar com temas delicados como problemas de aprendizagem, bullying, sexualidade, preconceito e depressão

As habilidades socioemocionais são muito importantes para que os educadores consigam fomentar a resiliência, a empatia e a capacidade de superar desafios. Por isso, elas são uma peça-chave para a mediação de conflitos na escola. Este tipo de competência ajuda a lidar com temas delicados e estabelecer uma relação de confiança entre alunos, pais e escola. Saiba como as habilidades socioemocionais são determinantes para solucionar problemas no ambiente escolar.

O desenvolvimento das habilidades socioemocionais permite que o indivíduo conheça melhor as suas próprias emoções, reconheça seus pontos mais fortes e suas fraquezas, trabalhe a sua resiliência, tenha empatia e saiba avaliar as situações e as consequências dos seus atos. Todos estes aspectos citados são importantes para lidar com diversos problemas que surgem na escola:

  Transtornos de aprendizagem;

  Depressão;

  Abuso sexual;

  Gravidez precoce;

  Drogas;

  Preconceitos e estereótipos;

  Entre outros.

Oliver John, pesquisador da Universidade da Califórnia, relata em entrevista ao portal da Revista Nova Escola como as habilidades socioemocionais podem ajudar em casos de bullying. 

“A análise de casos de bullying diz que precisamos transformar os espectadores em defensores. Eles podem usar a empatia, serem responsáveis e  assertivos, defender o que é certo e confrontar os ‘brigões'”.

O estudioso diz que as competências socioemocionais podem tirar pessoas da posição de plateia passiva e incentivar uma posição ativa de combate ao bullying.

No Brasil já há exemplo de como as habilidades socioemocionais podem auxiliar na prevenção do suicídio. Em uma palestra promovida pela Revista Nova Escola, Rosane Voltolini citou a iniciativa de um colégio em Santa Catarina.

A coordenadora dos núcleos de Santa Catarina e Rio Grande do Sul da Associação pela Saúde Emocional das Crianças (ASEC) contou que a escola desenvolvia iniciativas de educação emocional há 10 anos quando houve o boom do jogo Baleia Azul. O “jogo” consistia em receber desafios on-line que evoluíam para metas mais perigosas como automutilação e dizia-se que a “missão” final era cometer suicídio.

Segundo a matéria do portal, “as comunidades se organizaram para acolher os jovens e pesquisas feitas pela Secretaria de Saúde e Educação do município constataram que não haviam casos de suicídio entre os que haviam participado do programa. Durante o levantamento da pesquisa, os gestores também notaram que no município os jovens recorriam aos professores por ajuda – que segundo a especialista, é uma atitude importante para prevenir suicídios”.

Uso das habilidades socioemocionais para mediação de conflitos requer capacitação de educadores

Para que as habilidades socioemocionais sejam utilizadas de modo a ampliar a contribuição da escola na formação do indivíduo e sejam úteis na mediação de conflitos, é necessário que os educadores tenham acesso a capacitações e atividades de formação. Em 2009, o Ministério da Educação de Ontário, no Canadá, alterou as diretrizes curriculares para inclusão do desenvolvimento das habilidades socioemocionais dos alunos.

De acordo com um material especial feito pela ONG Porvir sobre competências socioemocionais, o país norte-americano investiu muito nos educadores. “Na implantação dessa nova política pedagógica, a participação e engajamento dos professores foi fundamental. Eles tiveram que deixar para trás o papel de único detentor do conhecimento para assumir uma postura de mediador, de facilitador da aprendizagem, estimulando discussões que ultrapassem os limites dos conteúdos factuais”. Atualmente, já é possível perceber melhores resultados acadêmicos dos alunos nas disciplinas tradicionais.

Entretanto, no Brasil sabemos que a realidade é diferente. Despreparo técnico e emocional, salas lotadas, pressão dos pais e da direção, baixa remuneração e stress são alguns dos problemas enfrentados por educadores de todo o país. Confira o nosso vídeo sobre Gestão Escolar X Alta Performance!

Mas como driblar todas estas dificuldades?

Para Fábio Cunha, um dos especialistas TalkB4:

“Uma primeira estratégia é a conscientização de que estas habilidades não são uma imposição, mas habilidades necessárias para todos os profissionais no mundo vuca que vivemos  atualmente e que por isso é preciso cada um se responsabilizar pela pequena parte que lhe cabe, pelo pequeno passo que pode dar.

A segunda estratégia é a criatividade, buscar meios que não exijam grandes investimentos, usar as diversas possibilidades de aprendizagem que temos hoje, como cursos livres e a distância, grupos de partilha e troca de experiências que podem ser presenciais ou remotos.

Sair da caixinha tradicional e usar o poder da rede”

Jade Chaib, também especialista TalkB4, reforça que um caminho de solução é a escuta empática, ou seja:

“ Sair do nosso papel ou lugar do campo, deixar as percepções e julgamentos para trás, e nos posicionarmos em um local de escuta realmente presente, em que não temos a obrigação de responder, tampouco trazer respostas ou observações, somos simplesmente o apoio e catalizador do processo do outro.”

A TalkB4 acredita em uma educação afetiva e nos vínculos de afeto para lidar com os desafios cotidianos que surgem na relação entre educadores, alunos e pais. Uma outra especialista da equipe da TalkB4, Joana Moraes, produziu um artigo sobre a importância das habilidades socioemocionais para os pais.

Vamos construir uma sociedade mais sadia e feliz. A TalkB4 te ajuda a estimular o debate sobre temas espinhosos de uma forma amorosa. Fazemos rodas de conversa, workshops e palestras! Conheça um pouco mais destas interações aqui!

TalkB4. Melhor você. Antes.

#TalkB4 #MelhorVocêAntes #SomosTodosResponsaveis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *