Blog

luto por suicidio
Sociedade Tabu

Luto por suicídio – uma reflexão sobre como agir diante dessa situação.

Tema difícil é o luto por suicídio.

Muitas vezes, se passamos por isso, a solução pela qual optamos é colocar nossa criança na psicoterapia. Pedimos ao terapeuta que não conte a ela que a causa da morte de uma pessoa que esta criança conhecia e gostava foi o suicídio.

Entretanto existe uma questão ao não expressarmos a palavra suicídio. E isso de alguma forma irá aparecer em algum outro momento da vida. Precisamos dar nomes adequados aos nossos sentimentos, ao que realmente aconteceu, pois senão podemos criar fantasmas e percepções inadequadas da vida. Percepções essas que em algum momento da vida desse jovem acabam entrando em conflito.

 

O  papel de  um adulto é educar a criança para a vida, mas também para a morte.

Pode ser difícil compreender, mas é saudável ficarmos tristes com o luto, mesmo em casos extremos. Sentiremos falta da pessoa que não estará mais fisicamente conosco. Podemos chorar, conversar, desenhar, brincar, ouvir histórias, criá-las, contar nossas histórias que criamos para outras pessoas. As fraquezas e vulnerabilidades humanas existem e estamos sujeitos a isto. O que é preciso é saber como agir diante do que a vida está nos oferecendo.

 

A criança pode, e deve, ter contato com a natureza, e participar do desenvolvimento, por exemplo, de plantas e animais. Ela pode acompanhar uma flor nascer e morrer, ou um animal de estimação, que também nasce, cresce e morre. Essas são maneiras com as quais ela vai entendendo que a morte faz parte da vida.

 

Se quisermos que as crianças lidem bem e sigam em frente, diante do luto pelo suicídio de alguém que amavam muito, tanto elas, como nós adultos, precisamos enfrentar esta situação, e não negligenciá-la.

 

O impacto do suicídio afeta todos nós.

Nos faz refletir como estamos vivendo –  se estamos onde realmente desejamos estar no mundo, se aprendemos e praticamos pedir ajuda. Pedir ajuda é importante afinal  somos seres interdependentes, ou seja, não precisamos nos isolar das outras pessoas em momentos de luto. Transitaremos entre o depender e independer das outras pessoas é importante.

Outro ponto é verbalizarmos se estamos sentindo vontade de morrer e/ou se matar. Isto pode acontecer conosco. Somos humanos. Nesses momentos é importante buscarmos apoio e cuidados adequados e especializados.

 

O luto por suicídio de alguém próximo, precisa ser cuidado. É um luto repentino, de uma maneira trágica. Há pessoas que se sentem culpadas pelo suicídio de outra pessoa e gastam muita energia psíquica para lidar com esta “culpa”.  Podem sentir que não foram capazes de perceber e evitar que a pessoa se matasse. É preciso entender a ausência da pessoa suicida. Quem ficou, sofre muito e tem impactos do suicídio de quem gostava tanto e como a situação foi recebida pelos demais.

Falar sobre o suicídio é um desafio. Este desafio tem passos que podemos dar, um de cada vez. A nossa psiquê pode ser cuidada para que caminhemos em frente e não nos congelemos em nos relacionarmos com outras pessoas.  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *